terça-feira, 6 de dezembro de 2011

A ARTE DA VIDA- MANUAL BÁSICO DO BEM VIVER


1-VIVENDO COMO PINTOR:
Como ás do pincel, vou puxando arcos de sorriso aqui e ali.
Colocarei um arco-íris quando estiver chovendo,
uma árvore bem grande quando o sol estiver muito forte,
e uma cachoeira para refrescar e matar a sede.
Pois sendo o dono do pincel
pintarei o quadro que eu quiser.


2-VIVENDO COMO MÚSICO:
Pelas notas de minha voz
cantarei a alegria, a esperança, o amor sem cobrança.
Não esquecerei da harmonia que constrói em notas equilibradas
a sinfonia da união.
E sempre que ouvir alguém usar sua voz
como soco ou arpão, cantarei os versos deste poema:
na força da tua voz em ação
ouvira os ecos que depois de viajarem
por muitos ouvidos,
retornarão em coro para tua triste compreensão,
sempre há consequências para tuas ações.


3-VIVENDO COMO ESCULTOR:
Martelos, cinzéis, lixas,
material em mãos busco fazer o monumento de minha vida,
para que todos vejam, que eu passei por aqui.
Da matéria-prima que o Pai me deu,
eu vou transformar a pedra bruta de minha alma
em diamante lapidado pelas marteladas de minha consciência
que devem tirar o cascalho das imperfeições morais,
que atrapalham o brilho de nossa jóia.
Em alguns ela já irradia sua luz, em outro mostra os primeiros raios,
mas em muitos ela jáz esquecida.
Ei, você que esqueceu o seu valor, 06/12/2011
MARTELOS , CINZÉIS, LIXAS...


 MARCOS VEDA

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A ROUPA DE UMA VIDA

LUZES QUE BUSCAMOS
NAS TREVAS QUE GOSTAMOS
LUZES QUE ILUMINAM AS TREVAS
ONDE NOS ESCONDEMOS
POR MEDO QUE VEJAM
QUE AINDA NÃO SOMOS PERFEITOS.

POR ISSO FALAMOS DA LUZ
MAS TEMOS MEDO DELA
DIZEMOS SEJA DESAPEGADO!
MAS NÃO NOS DESAPEGAMOS.

SOMOS APEGADOS, GRUDADOS
EM IDÉIAS E IDEÁIS ,
CONCEITOS, DOGMAS,
TÃO ENRAIZADOS EM NOSSA ALMA
QUE ACREDITAMOS QUE ISTO TUDO
É O NOSSO EU.

MAS ESTES APEGOS SÃO DO CORPO,
DA PERSONALIDADE QUE NÃO É REAL,
ELA É APENAS A ROUPA QUE VESTIMOS
PARA VIVER UMA VIDA, E ELA TERÁ
AS CORES E O MODELO PRÓPRIO
PARA O TIPO DE VIDA QUE VOCÊ PRECISA
VIVER PARA EVOLUIR E ABSORVER CONHECIMENTO,
MATURIDADE, SERENIDADE, EQUILÍBRIO,
E ACIMA DE TUDO
APRENDER A AMAR VERDADEIRAMANTE.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

TOLERÂNCIA

Na vida é bom logo aprender a tolerar
Pois dizem que é dando que se recebe,
Então tolere para ser tolerado
Bem aventurados os que se sabem tolerar
Pois terão suas manias e vontades tolerados.
Se logo aprendermos a conjugar este verbo
EU, TU, ELE, NOS, VOS, ELES
Logo todos tolerarão.
Sei que pareço repetitivo
Mas me tolerem por favor, sou cheio de defeitos,
E, sinto dizer, vocês também.
O mundo já está cheio de intolerância,
É a torcida "A" que não suporta a torcida "B" que não suporta a "A".
São os cabeludos que caçoam dos carecas.
Será que é porque dizem que é dos carecas que elas gostam mais, sei lá, vai entender, pura inveja!
É um tal de dizer que o meu Jesus é melhor que o seu e que um salva e o outro não!
Intolerância sexual, musical, racial, e outros al por aí...

Pai! Ah se todos soubessem que são realmente irmãos universais.
Que já foram homens, mulheres, brancos, negros, ruivos, japoneses, chineses, americanos, africanos,
marcianos, católicos, muçulmanos, budistas, feiticeiros, espíritas.
Que já usaram tantos rótulos
Mas rótulos são apenas rótulos
De uma essência pura e divina
O espírito eterno que avança evoluindo na escola universal
Trocando de rótulo muitas vezes
Mas nunca perdendo sua essência divina .

Marcos Veda.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

O Autoconhecimento

A ORIGEM
A ÁRVORE DA VIDA

Deus é a árvore da vida que produz seus frutos sem parar e estes possuem os mais variados sabores não existindo um igual ao outro
O fruto que nasce do seio divino, já vem com toda a potencialidade da grande árvore, porém precisa se desenvolver pelas experiências de suas próprias escolhas para ganhar sabedoria e seu espaço nesta grande floresta universal.
Todos nos possuimos no nosso interior o DNA DIVINO que conduz nossa evolução ao patamar de deuses, mas antes de descobrirmos este Deus dentro de nos, precisamos nos desapegar da poupa das ilusões do ego primário, reencarnando através do tempo aprendendo o que é certo e errado vivenciando a lei de causa e efeito, ou " toda ação gera uma reação", "a cada um será dado conforme a sua obra", assim através da experiência vivenciada ganhamos a sabedoria.

COMO SE FORMA A PERSONALIDADE?
E PORQUE PRECISAMOS CRIAR UMA PARA EVOLUIR?

A personalidade será sempre a soma de diversos fatores tais como: os instintos próprios da natureza, o nível de evolução espiritual, o meio em que reencarna, a educação que recebe e como o seu eu absorve e interpreta as experiências, criando assim, a sua visão do que é certo e errado gerando a primeira máscara que seu espírito usará, pois a persona, não é o nosso eu real e sim, apenas a estrutura criada para que ele viva e se relacione com a vida planetária que nos proporciona um imenso laboratório de experiências necessárias a sua evolução.
Podemos então resumir em:

INSTINTO + ÍNDOLE + CULTURA = PERSONALIDADE

COMO É O PROCESSO DE APRENDIZADO DO ESPÍRITO?

Escolhendo a escola teosófica, podemos dizer que o ser humano possui sete corpos, que vai do mais denso, o corpo somático ao mais sutil, o corpo átmico, a sede do espírito onde será armazenado o saber que os outros corpos processaram das experiências vividas na carne.
Para que este processo ocorra existe uma comunicação entre estes corpos cuja qualidade dependerá do nível de evolução podendo oscilar do puro instinto a uma resposta mais espiritualizada diante da vida.
Ex.: do soldado alemão.

TIPOS DE PERSONALIDADE

Existem diversas teorias sobre os tipos que o ser cria para se relacionar, mas para ser mais sintético, posso dizer que todos estão baseados na busca de prazer e auto realização, pois todos possuem este determinismo em seu espírito, fomos criados para alcançarmos a plenitude divina, só que nesta jornada milenar acabamos por confundir a personalidade com o eu real e assim passamos a agir em busca de prazer para ela, o que acaba gerando medo já que esta é temporal e limitada dando a impressão que todas as conquistas se perderão com a morte do corpo físico, é justamente aí que residem todas as distorções do eu que passa a agir de forma egocêntrica tentando acumular tudo que acha que vai lhe dar prazer.

MÁSCARAS QUE COMPRAMOS

A sociedade com o seu materialismo comprou a idéia que tudo vale em nome da satisfação perdendo a identidade em nome dos padrões impostos por aqueles que acreditam ditar as regras em prol do consumismo imediato e lucrativo afastando a humanidade de sua realidade espiritual mergulhando-a no grande Maya (ilusão).
As máscaras da personalidade irão flutuar conforme a situação vivenciada pelo ser e este pode acabar trocando o real pela fantasia e desenvolver patologias de comportamento tais como a obsessão, a compulsão, a mentira, paranóias, etc.
Outra situação vivida também de forma doentia são os dramas de controle que se desenvolvem quando o ser necessita estar dominando a situação o tempo todo para se sentir seguro, são basicamente quatro tipos:

O COITADINHO DE MIM-> PROVOCA A PENA.
O INTERROGADOR-> PROVOCA ANSIEDADE E ANGUSTIA.
O DOMINADOR-> PROVOCA MEDO.
O DISTANTE-> PROVOCA CURIOSIDADE.


A GUERRA DOS SÉCULOS
E esta é a grande guerra travada pelo Eu superior, consciente de sua eternidade e divindade, contra o eu primário, preso aos apegos sensoriais da matéria que acredita necessitar para ser feliz. Este é o grande Maya.
Como Khisna narra na batalha épica de Arjuna que tem seu trono roubado por seus parentes e precisa enfrentá-los e mesmo matá-los para recuperar o seu reino, o homem da regeneração precisa lutar para devolver ao espírito a usa realeza.



RELACIONAMENTOS INTERPESSOAIS

O autoconhecimento é vital para que as relações sociais sejam benéficas para todos, pois com o conhecimento de nossas imperfeições, podemos trabalhar para superá-las exercitando o auto amor, que Jesus alertou como uma regra básica dizendo “ame ao próximo como a si mesmo”, mas como poderemos amar se ainda não sabemos nos amar?
Amar a si mesmo não é o ato egoísta da auto-adorarão e sim o reconhecimento de nossa divindade e a do próximo e com isso amar de forma sagrada a si e a todos com suas qualidades e limitações temporárias.
ENTRE O BEM E O MAL

“Nem sempre consigo fazer o bem que pretendo, mas o mal que não quero.”

“Tudo é permitido, mas nem tudo é oportuno. Tudo é permitido, mas nem tudo edifica...”

“Que miserável homem que eu sou; quem me livrará do corpo dessa morte.
As coisas que quero fazer eu não faço, as que eu não quero, isso sim eu faço.”

“Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes, nem a altura, nem a profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.”
(Bíblia Sagrada / Romanos 8:38-39)
Paulo de Tarso

O grande apostolo Paulo observou bem o grande drama do ser humano, a luta entre o bem e o mal que ocorre dentro de sua mente e o quanto ainda somos fracos em determinação para seguir o que já sabemos ser o certo, quantas situações se apresentaram diante de nós, sabíamos o que fazer, mas não fizemos, ou fizemos justamente o que não era pra fazer. E a resposta a este tipo de atitude está no apego que carregamos a diversos sentimentos como o medo, o desejo, a possessividade, etc.

RETIRANDO OS VÉUS DA ILUSÃO

“A ILUSÃO É UMA CONFUSÃO DOS SENTIDOS QUE PROVOCA UMA DISTORÇÃO DA PERCEPÇÃO. A ILUSÃO PODE SER CAUSADA POR RAZÕES NATURAIS (MUDANÇA OU DEFORMAÇÃO DE AMBIENTE, MUDANÇA DE CLIMA, ETC) OU ARTIFICIAIS (CAMUFLAGEM, MIMETISMO, EFEITOS SONOROS, ILUSIONISMO ENTRE OUTROS). TODOS OS SENTIDOS PODEM SER CONFUNDIDOS POR ILUSÕES, MAS AS VISUAIS SÃO AS MAIS CONHECIDAS. UMA VEZ QUE A PERCEPÇÃO É BASEADA NA INTERPRETAÇÃO DOS SENTIDOS, AS PESSOAS PODEM EXPERIMENTAR ILUSÕES DE FORMA DIFERENTES.”
WIKIPÉDIA.
Para se retirar estes véus, é preciso estar consciente de sua realidade multidimensional, de que é um ser eterno em processo de evolução e que sua felicidade só depende de suas ações que irão gerar as reações que virão em prazo indefinido pois as reações das ações passadas precisam ser vividas.