quarta-feira, 22 de maio de 2013

RELIGARE



                Religar, do latim religare, é objetivo de toda religião, reconectar o ser humano a Deus, pois ao longo da jornada evolutiva, acabamos nos afastando dele. Este processo é necessário para o desenvolvimento e o autoconhecimento em determinada fase da evolução. Mas a religião, muitas vezes falha no momento de religar, pois o ser pode alcançar um nível de compreensão melhor ao longo de suas encarnações educativas, e ela não acompanha a evolução dos seres, afastando muitos destes irmãos.
                Ensinar os aspectos da divindade e de como os seres, podem ser a imagem e semelhança do Pai, é o papel real de toda a religião, mas elas não estão cumprindo perfeitamente este papel e muitas simplesmente engessaram no tempo, impedindo o rompimento com dogmas que não fazem mais sentido nos dias de hoje.
              O momento dos seres participarem ativamente das mudanças nas religiões é AGORA. Não podemos mais ser meros expectadores da vida e de seus processos, temos de lutar pelo que queremos. Se as religiões são feitas pelos homens, são eles que as devem modificar.
                É hora do martelo da consciência despertar, quebrar esse gesso da ignorância humana e liberar as escolas de Deus para a sua real função, que é educar os homens para serem Deuses um dia, amando a si mesmos por serem filhos de Deus, e ao próximo, por serem seus irmãos, e a Deus, Nosso Criador que nunca nos abandona em nossa longa jornada evolutiva.
             E num futuro próximo, iremos retirar de todas as escolas filosóficas e religiosas a sua verdadeira essência, extraindo a luz e a sabedoria necessária para guiar nossos passos em direção à Luz, unidos  e compartilhando experiências fraternalmente.
            Vamos a luta para a construção desse futuro!

Marcos Veda 

quinta-feira, 18 de abril de 2013

OS DESAFIOS DA NOVA ERA A ERA DA LUZ


        Agora que passamos da fase da histeria coletiva do fim do mundo frustrando aqueles que torceram pelo caos, vemos de fato o que significou o dia 21 de dezembro de 2012, o início da era da luz onde o ser humano finalmente terá seu encontro com a luz no seu sentido mais profundo. Neste dia, tivemos um grande alinhamento com o centro de nossa galáxia, que transmitiu ao nosso sistema solar a luz da renovação de todas as coisas. Uma fase que vem definir o futuro da nossa evolução pois é um momento em que cada ser é chamado a crescer e se libertar do velho, ou seja, velhos hábitos, vícios, apegos, preconceitos, ilusões...
        Tudo irá mudar! Está em andamento o despertar da consciência de nossa geração, mas não haverá algo sobrenatural para ocorrer, toda mudança vem da ação e se cada encarnado neste momento tem a sua cota de responsabilidade pelos erros que vemos no mundo, é óbvio que estamos aqui para nos corrigir ajudando o coletivo a se libertar do atraso evolutivo em que estamos.
        O governo espiritual da Terra chama a todos em regime de urgência, pois milhões de seres caminham no escuro, a luz que chegou não os alcança, pois se esconderam no umbral de suas mentes e temem o que não entendem, intuem que algo mudou, mas não conseguem romper a hipnose em que se encontram há séculos. Aqueles que se encontram no topo das pirâmides do poder na sociedade materialista em que vivemos, emitem suas ordens hipnóticas através das distrações criadas (carnaval, álcool, apelos sexuais, etc.) para manter os seres presos às sensações do prazer da matéria, o que afasta da razão e o aproxima do animal que age por instinto.
        Ainda temos a chance de realizar estas mudanças pelo caminho do amor, da ação na caridade, ajudando aqueles que estão ao nosso redor a despertar sua espiritualidade, não com imposições doutrinárias e sim com o exemplo de ser uma pessoa melhor que busca amar sem condições, que sabe que ainda é cheia de imperfeições, mas que não paralisa diante delas e antes busca formas de vencer seus desafios íntimos, que assim como não gostamos de ser julgados por eles, buscar respeitar a luta interna que cada um vive, auxiliando e sendo auxiliado. 
                        
 MARCOS VEDA.